sábado, 14 de março de 2009

POETA

Foto: Márcia Macêdo


A poesia é regada
tal qual a rosa nas mãos dos que amam.

Têm no coração e na alma,
rosas que perfumam vidas.

A sensibilidade é desperta...

E as palavras, quebram o silêncio
da madrugada.

MM

3 comentários:

ronaldo franco ( RF) disse...

Boníssimo poema, mana querida.


Ron.

Marco disse...

A poesia e a rosa se confundem
Pois exalam o aroma do indecifrável
O olor dos tempos transforma
tanto a rosa como a poesia
No vagão que carrega o imaginário
Transmutado em possibilidade abstrata
pelos sonhos que nos figem a veracidade
Inacabada dos desejos.
beijocas marcinha

Juan Trasmonte disse...

Grande, prima! Já estou te seguindo e depois vou te linkar no meu blog.
Beijos!